Câmara de Vereadores realiza audiência pública para debater aumento abusivo da energia elétrica

por Paulo Henrique Maciel publicado 22/03/2019 22h10, última modificação 22/03/2019 22h16


A Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul realizou na manhã desta sexta feira, 22, uma grande audiência pública com mais de 300 pessoas de diversos segmentos sociais para tratar do aumento abusivo da energia elétrica no Vale do juruá. 

A audiência foi solicitada através de um documento enviado à Câmara pela empresária Janaína Terças que teve um aumento de 6 mil reais na conta sua conta de energia. Bem como, também um pedido dos presidentes de bairros. 

Estiveram presentes no ato público a população, os representantes do movimento social, OAB, Defensoria Pública, Exército Brasileiro, Polícia Militar, Federação da Indústria do Acre, FIEAC, sindicatos dos taxistas, mototaxistas, deputado Estadual Jonas Lima, representando a Assembleia Legislativa, vereadores de outros municípios do Juruá e representante da deputada Pérpetua Almeida, além da população geral. 

O ato público foi voltado para ouvir a população que, em alguns casos, tiveram seu aumento em mais de 100% na fatura de energia elétrica. Além de todos os setores sociais e econômicos que reclamaram dos valores aumentados nas contas de energia. Como relatou a autônoma Darciomar Farias, que revende salgados e teve sua conta de energia aumentada de R$ 100,00 para R$ 500,00 reais. 

"Pagava R$ 100,00 reais e minha energia veio R$ 500,00, ganho a vida fazendo e vendendo salgados e ganho na média de R$250,00 reais livre e pergunto? Como vou pagar essa conta?", questionou Darciomar. 

O presidente do bairro Remanso, José Maria, que chamou a atenção por estar com uma "poronga", objeto utilizado nas comunidades rurais para iluminar residências com o auxílio de óleo diesel, disse. 

"Agradecemos ao presidente Clodoaldo Rodrigues por organizar este evento, onde podemos expressar nossa opinião sobre este "roubo" à nossa sociedade. Minha energia aumentou R$200,00 e o salário mínimo aumentou R$ 2.000,00? Não, então não temos como pagar esse aumento", finalizou 

Márcio Ramos, representou a Federação das Indústrias do Acre, FIEAC, e disse que não é apenas a população mais baixa que está sofrendo, pois a indústria vem sofrendo um baque e de alguma forma vai precisar absorver esse aumento que foi assustador no comércio. 

"Nosso comércio sofreu um baque e precisamos absorver esses aumentos que passam dos 6 mil reais, isso é muito para um comerciante que precisa empregar. Esse luta não é apenas de vocês mais de toda a sociedade acreana, se continuarmos assim, teremos que demitir pais de família para podermos pagar a conta de energia.", disse o representante classe comercial. O Presidente da Câmara de Vereadores, Clodoaldo Rodrigues, que realizou um grande ato e o conduziu com muita desenvoltura, disse que a Câmara de Vereadores realmente não tem poder para solucionar este problema, mais juntamente com o povo tem força para instigar a justiça a investigar esse aumento. 

"Essa audiência é um pedido da nossa sociedade, através de um pedido dos setores, estamos aqui para discutirmos esse aumento e apartir de agora vamos no Ministério Público Federal ajuizamos mais uma Ação Civil Pública contra esse aumento abusivo, vamos buscar de alguma forma diminuir esses valores e, principalmente, impedir aumentos futuros.", concluiu Clodoaldo Rodrigues. 

Como encaminhamento da audiência, a Câmara de Vereadores criou uma Comissão com membros dos setores da sociedade para na próxima segunda feira, 25, irem ao MPF e buscar sensibilizar o Procurador a ajuizar mais uma Ação Civil Pública contra a ANEEL para cancelar o reajuste concedido à Energisa. 

Atualmente, já existem duas ações nesses moldes referentes ao mesmo assunto. Uma impetrada pela Defensoria Pública do Estado do Acre, que tramita em Segunda Instância, e a outra impetrada pelo Ministério Público Federal do Estado do Acre. 

Assessoria de Comunicação 

error while rendering plone.comments